Segregação racial e LGBT+ no mercado de trabalho

Atualmente, no Brasil, é direito civil do cidadão, segundo a lei 7.716 de 1989, a igualdade racial e um de seus aprimoramentos foi sua pena, sendo esta inafiançável. Porém, ainda não há uma lei anti-discriminação para gays, lésbicas, bissexuais, transexuais (entre outros), e apesar de alguns municípios e estados terem algumas sanções, o ato só pode ser caracterizado como crime se for definido pela lei federal.

  • Segregação racial no mercado de trabalho

A pesquisa “Os Negros no Trabalho” realizada Dieese, Fundação Seade e Ministério do Trabalho, através Sistema Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED) levantou dados sobre a presença no mercado de trabalho, evidenciando a desigualdade entre negros e não negros.

Apesar do avanço nas ocupações, a diferença nos rendimentos continua grande. Na média geral, a remuneração por hora da população negra é 36,1% menor do que recebem os não negros. A desigualdade é maior nos setores em que a população negra está em menor número e nos quais os rendimentos são mais elevados.

O relatório do Dieese aponta que há menor acesso da população negra à educação. Em 2011 27,3% dos negros ocupados não tinham concluído o ensino fundamental e 11,8% tinham diploma de nível superior. Entre não negros, os índices foram de 17,8% e 23,4% respectivamente.

A desigualdade salarial entre os grupos de cor era de 18,4% no ensino fundamental incompleto e de 40,1% no ensino superior completo.

Especificamente no mundo do trabalho, mesmo com o fim da escravidão no país, tendo como base agora o trabalho assalariado, não houve a inserção do negro na sociedade. Foi mantida toda a lógica de exclusão existente, sendo os negros responsáveis por posições de trabalho informal.

  • Segregação LGBT+ no mercado de trabalho

Uma pesquisa realizada pela Elancers, empresa da área de sistemas de recrutamento e seleção, mostrou que 11% das empresas não contratariam homossexuais para determinados cargos, referindo-se a posições de liderança e nível executivo. O levantamento –divulgado em maio deste ano– foi feito com mais de 2.000 recrutadores, de cerca de 1.500 companhias brasileiras.

Na pesquisa, 7% dos entrevistados também disseram que não empregariam homossexuais declarados em nenhum cargo. “Na verdade, quase 20% têm algum tipo de discriminação”, fala um dos pesquisadores.

Também acrescenta que no discurso muitas empresas falam que apoiam a diversidade, mas, na prática, é diferente, conforme apontam os números.

Por medo de serem discriminados, demitidos ou terem sua capacidade profissional colocada em supervisão, muitos profissionais preferem manter em segredo sua orientação sexual.

No levantamento da consultoria de engajamento Santo Caos, somente 47% disseram se assumir no trabalho, sendo que desses 32% falaram para o chefe imediato e apenas 2% para o gestor de recursos humanos. “Isso mostra o despreparo das empresas com relação à diversidade”, afirma o diretor da pesquisa.

Conclusão

Conseguir um emprego, sendo negro, já é difícil, tendo em vista que quanto maior o grau de escolaridade, maior é a diferença e a dificuldade para a contratação. Na mesma ordem de raciocínio, é possível notar que ainda é precário o preparamento das empresas para a contratação de lésbicas, gays, bissexuais, transexuais (entre outros), o que dificulta sua inserção no mercado. Ser negro e LGBT+, implica muito mais barreiras para esta pessoa, pois além de lidar com a segregação racial, ainda há a segregação LGBT+.

 

Fontes: 

https://pt.wikipedia.org/wiki/Segrega%C3%A7%C3%A3o_racial

http://www.seppir.gov.br/central-de-conteudos/noticias/estudo-analisa-mercado-de-trabalho-para-negros

http://brasildebate.com.br/negro-no-mercado-de-trabalho-as-desigualdades-persistem-e-sao-profundas/

http://estilo.uol.com.br/comportamento/noticias/redacao/2015/09/21/mercado-de-trabalho-ainda-e-hostil-com-homossexuais-assumidos.htm

https://noticias.terra.com.br/brasil/demitidos-por-serem-gays-o-nada-facil-mercado-de-trabalho-para-lgbts,220a094b8b5532e5cbd90ac99e8e3877mqbwRCRD.html

https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L7716.htm

http://racismo-no-brasil.info/lei-e-penalidade.html

https://pt.wikipedia.org/wiki/Direitos_LGBT_no_Brasil